Post hoc ergo propter hoc

Determinismo  é a teoria filosófica de que todo acontecimento (inclusive o mental) é explicado pela determinação, ou seja, por relações de causalidade.

Embora, no seu sentido mais vulgar, determinismo se refira a uma causalidade redutora (a redução de todos os fenómenos do universo, por exemplo, à mecânica ou à química), a causalidade não é necessariamente sinónimo de reducionismo. Há vários tipos de determinismo, cada um definido pelo modo como determinação e causalidade são conceptualizados. Estes são os três mais básicos segundo a Wikipédia brazilês:

  • Pré-determinismo: Se, como em Laplace, no teísmo e na teoria comportamental, supuséssemos que todo efeito está desde logo completamente presente na causa, chegamos a um determinismo mecanicista onde a determinação é colocada no passado, numa cadeia causal totalmente explicada pelas condições iniciais do universo.
  • Pós-determinismo: Se, como na teleologia, supuséssemos que toda causalidade do universo é determinada por alguma finalidade, temos um determinismo mecanicista onde a determinação é posta no futuro pela imaginação de alguma entidade exterior ao universo causal (Deus).
  • Co-determinismo: Se, como na teoria do caos, na teoria da emergência ou no conceito de rizoma, supuséssemos que nem todo efeito está totalmente contido na causa, isto é, que o próprio efeito pode simultaneamente interagir (causalmente) com outros efeitos, podendo inclusive acarretar um nível de realidade diferente do nível das causas anteriores (por exemplo a interacção no nível molecular formando um outro nível de realidade, a vida, ou a interação entre indivíduos formando um outro nível de realidade, a sociedade [a virtualidade]), temos um determinismo onde a determinação é colocada no presente ou na simultaneidade dos processos.
in Wikipédia (editado


Mais variedades de determinismo aqui.
Ver também causalidadecomportamentalismo, determinismo ambiental.

0 comments: